inapta a viver de cabeça leve

terça-feira, 25 de março de 2014

Só sei que não tenho aptadão pra 90% das coisas que eu precisava\deveria ter.
Hoje eu "reclamei" que minha vida tava normal demais, no último mês a poeira abaixou e faz algum tempo que não brigo ou tenho surtos o que é realmente incrivel pra alguém como eu.
Não sei muito bem como me expressar, mas intenção de escrever nesse momento é evitar um surto sem lógica alguma.

Acho que sou complicada demais pra me entender, então eu simplesmente não posso cobrar isso dos outros.

É estranho pra mim como as pessoas reveem conceitos, estranho e legal. Recebi desculpa de alguém que já tinha me deixado bem mal, não que eu tenha botado toda a fé do universo naquilo mas admirei a iniciativa. Percebi que ninguém é assim tão ruim. E lembrei, lembrei que já havia me ocorrido antes de me pedirem desculpas depois de algum tempo passado pós briga e\ou intriga.
Fiquei imaginando quem vai ser a próxima pessoa a vir até mim dizer que errou, desejei que fosse alguém que quem lê aqui sabe muito bem quem é, mas dai eu lembrei que você não é do tipo de pessoa que enxerga além do próprio nariz e eu percebi que eu nem quero mais desculpas suas já que você sempre vai ser o dono da verdade e eu sempre vou ser a vilã maldosa que te largou e fez sofrer quando a história não foi bem assim.

Nos últimos dias eu tenho eu me lembrado bastante do porque seis meses atras eu não queria mais atender ligações de um cara maluco. Dei uma parada pra refletir nos últimos acontecimentos e foi tudo definitivamente maluco porém divertido e bem diferente do que eu achei que seria.

Me disseram e ainda dizem por ai que eu vou acabar sozinha já que é isso que quero fazer da minha vida, me disseram que eu não tinha amigos e que todos iam me largar em breve como sempre acontecia e agora eu parei de acreditar no que alguém dizia e acredito no que eu sinto e vejo. Ainda sou uma "esponja", mas tô mais seletiva.

Ando orgulhosa da calma e auto-controle dos meus últimos dias, se eu me olhar de fora eu nem posso acreditar que não fui totalmente impulsiva nenhuma vez nesse último mês. Mas ao mesmo tempo, me sinto tão desanimada, tô com saudade da minha própria euforia. Eu já fui mais corajosa e acho que é por isso que ando mais controlada, o medo deve fazer a impulsividade se segurar!



Nenhum comentário:

Postar um comentário